Impressora de Objetos 3D

O mundo está bastante tecnológico, nos últimos tempos. Hoje, é possível imaginar várias soluções para os demais problemas do mundo: Por exemplo, para problemas com a osteoporose, que é a fraqueza com os ossos, existem diversos tipos de tratamentos e, também, medicamentos que podem ser ministrados mediante recomendação médica.

Uma das realizações humanas mais notáveis é, sem dúvida, a possibilidade de se chegar até onde se achava inimaginável poder ter algum conhecimento: o espaço. Por meio de muito estudo, pesquisa e testes, hoje o planeta está se abrindo cada vez mais para o que existe no céu, por meio de viagens até a Estação Espacial Internacional, sondas e rovers lançados adentro do Sistema Solar, e, também, o maior feito humano até hoje: o pouso dos primeiros seres humanos no corpo celeste mais próximo da Terra: a Lua. Em 1969, Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collin foram os primeiros a descerem até a superfície lunar, realizar experimentos, coletar material para estudo, andar com “jipes” pela superfície, entre muitos outros. Até hoje, quase completando-se 50 anos da fantástica aventura, o feito é considerado o maior passado dado pela humanidade de todos os tempos.

E, por falar em conquista espacial, todos sabemos o quão difícil é fazer uma viagem para o espaço, por conta dos riscos embutidos, dão não aceitação do organismo de um ambiente hostil, e, também, o problema do peso já que, para viagens desse tipo, é necessário que o peso correto de o que vai pra lá (entre pessoas e materiais) seja estritamente calculado, pois, quanto mais pesada for a carga destinada ao espaço, mais dispendioso economicamente ( e também mais perigoso) fica para quem está querendo conhecer além do céu.

Como a questão do peso é bastante discutida, muito se pensado em métodos para levar o menor peso lá para cima e, ao mesmo tempo, poder ter os mantimentos e equipamentos necessários para a manutenção da viagem. Por exemplo, a Estação Espacial Internacional, que começou a ser construída no final dos anos 1990, ainda não foi totalmente concluída, justamente por causa dos problemas envolvidos com o peso e por ser muito caro os envios dessas. Por isso, se tem estudado a possibilidade de “impressão” dessas peças no espaço, mesmo, utilizando uma impressora de objetos 3D, que será tratada nesse artigo, além de curiosidades acerca do equipamento. Confira:

A Impressora 3D

Embora a comercialização dessas máquinas seja algo bastante recente, o conceito de impressão em 3D já havia surgido nos anos 1980, mais precisamente, em 1984, quando um engenheiro e físico estadunidense, Chuck Hull, criou a estereolitografia, a tecnologia que viria a se desenvolver e a se tornar o que temos hoje. A máquina que era a responsável pela impressão já tinha sido criada por Chuck um ano antes.

A impressão 3D se resume em uma máquina capaz de dar forma a diversos objetos, desde enfeites de decoração a, até mesmo, peças para alguma arma ou peças especiais para avião, por exemplo. Mas isso, é claro, depende muito de qual máquina será usada, já que há as especiais para cada tipo de serviço.

As impressoras 3D ficaram famosas graças à internet, que passou a replicar diversos vídeos do equipamento em ação, que tinha o poder de criar fielmente um modelo 3D do computador utilizando diversas camadas do material que fora escolhido para se tornar o corpo do objeto impresso pelo equipamento. Segundo os especialistas da tecnologia, a impressão, que poderia ser considerada uma máquina fabricante aditiva era mais rápida que as outras máquinas que compartilhavam do mesmo status. Essa impressora 3D é bastante comum em universidades, já que, a partir dela, é possível criar diversos protótipos de produtos desenvolvidos pelos alunos ou por projetos especiais que a universidade pode abrigar. Ou seja, além de ser bastante útil, ela ainda participa do método de ensino.

Como já dito anteriormente, a tecnologia de impressão 3D já era conhecida desde os anos 1980 e, a partir dessa data, já era utilizada, moderadamente, para a impressão de pequenos objetos. O grande boom sofrido pela tecnologia veio no fim da primeira década dos anos 2000, quando ela começou a ter o poder de impressão de partes plásticas que, naquela época, levavam quase 8 semanas para ficar pronto, em questão de horas. Além dessa rapidez propiciada pela tecnologia, a qualidade de tais peças de plástico aumentou consideravelmente, já que, com o processo antigo ao da impressão 3D, geralmente tais peças tinham diversos problemas na manufatura, o que fazia com que tais peças precisassem ser mandadas de volta para a manufatura para serem consertadas. Segundo estudos, a velocidade das impressoras 3D para a confecção de peças ultrapassava a barra de 25 vezes mais rápido que as tecnologias convencionais, além de ter o poder, também, de trabalhar com geometrias que, há pouco tempo, eram impossíveis com os meios tradicionais, abrindo espaço não somente para as questões empresariais e de indústria pesada: muitos especialistas buscam trazer possibilidades para as áreas médicas e químicas, que poderá beneficiar, e muito, a sociedade.

As Impressoras 3D Mais Acessíveis

Com o desenvolvimento da tecnologia 3D, foi possível que a tecnologia passasse por diversas evoluções que permitiram o crescimento da tecnologia do equipamento e dos produtos produzidos por ela, bem como o barateamento da tecnologia. Hoje, é possível encontrar diversos tipos de impressoras 3D por preços considerados “baixos”, perfeitos para serem adquiridos por usuários domésticos. Vale destacar que, por meio do equipamento, é possível criar diversas peças, utilizando temas que, agradando outras pessoas, podem ser comercializados. Cresce o número de pessoas que passaram a comprar a sua própria impressora 3D para poder criar produtos e revende-los, fazendo da máquina como um meio de subsistência.

No entanto, essas máquinas estão suscetíveis a defeitos. Muitos são os relatos que, em pane, as máquinas de impressão 3D passaram a criar objetos deformados, que estivesse faltando detalhes na peça, enfim. No entanto, isso não é motivo para desânimo, já que, como toda tecnologia, ela precisa ser aperfeiçoada e, com o passar do tempo, a sua qualidade só tende a subir, considerando que, ultimamente, a impressora 3D tem servido mais aos cientistas e mais experientes na tecnologia.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Eletrônicos

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • Olá!
    Gostaria de adquirir uma impressora deste tipo.Como devo proceder? A quem devo procurar? Por favor, entre em contato. Gostaria de desenvolver objetos decorativos, porém de PVC, é possivel? Já existe alguma impressora em que se possa fazer objetos maiores? Por favor, entre em contato. Muito obrigada!
    Ana Cláudia

    Ana Cláudia 12 de agosto de 2010 22:01
  • OLA! gostaria de adquirir uma desta como faço para comprar, entre em contato.

    Fabio Macedo 8 de setembro de 2010 14:31
  • Ola, comercializamos impressoras e serviços de prototipagem. Por favor entrem em contato que teremos prazer em atende-los. grato

    Evandro 22 de outubro de 2010 22:53
  • Boa noite,

    Tenho interesse em adquirir uma impressora desta, como faço?
    Mas gostaria de saber também qual programa é usado para fazer as artes e se consigo fazer alguma peça a partir de um desenho no papel.
    Em relação a suprimentos, matéria prima para fazer as peças como consigo se caso eu compre a impressora e se já vem com algum suprimento.

    No aguardo.

    Rodrigo 5 de Abril de 2013 19:11

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.