Olimpíada Brasileira de Robótica

O Brasil é um país bastante extenso, sendo considerado um país com dimensões continentais. Para se ter uma ideia do tamanho do Brasil, vários de seus estados correspondem, em dimensão, a países europeus. Por exemplo, a França, um dos polos turísticos europeus, é praticamente do tamanho da Bahia.

Com um vasto território, é de se imaginar que dentro do país, existam várias riquezas naturais e potenciais a serem exploradas, o que posicionaria o país entre os países mais desenvolvidos do mundo, podendo ser o Brasil considerado uma verdadeira potência. Infelizmente um dos maiores males que impedem o ingresso do país na turma dos países mais ricos do planeta é, justamente, um mal que está enraizado na população e, agora, embute cada vez mais na mídia: a corrupção.

Apesar de existir outros países muito mais corruptos, o Brasil está sendo um dos países mais falados sobre esse tema no mundo do que sobre outros. Isso porque acontecimentos recentes na política do país, como o impeachment da presidente Dilma Rousseff, ampliou o olhar da mídia para os problemas decorrentes da corrupção, que afeta grande parte do cenário político brasileiro.

A corrupção é um problema sério que contribui e muito para que o Brasil permaneça como um país “emergente”. No entanto, ele não é o único problema que faz com que o Brasil permaneça como um país não desenvolvido. O fornecimento de serviços básicos à população também pesa muito nesse sentido, e a educação, que é um dos setores que é considerado o “motriz” de um país, é um dos mais afetados nele. No entanto, nos últimos anos, o país tem experimentado melhoras em seu sistema educacional, como a disponibilização de mais professores, melhoramento de infraestruturas, enfim.

E, falando em educação, o Brasil, embora apresente resultados não muito bons, conta com várias iniciativas que ajudam a criar maior ânimo pelos estudos.  Dentre essas iniciativas, podemos destacar as olimpíadas escolares, que tem por função encontrar talentos que estejam nas escolas. Podemos destacar a OBMEP, que é a Olimpíada Brasileira de Matemática. No entanto, o nosso artigo de hoje irá falar sobre uma olimpíada que busca pessoas que estejam sintonizadas com o futuro: a Olimpíada Brasileira e Robótica. Aqui, você vai conhecer um pouco mais sobre essa olimpíada, bem como algumas informações bastante interessantes sobre a olimpíada. Vamos lá?

A OBR

A Olimpíada Brasileira de Robótica, denominada pela sigla OBR é um concurso promovido por estudantes de robótica por meio de uma pesquisa, que é direcionado para alunos do ensino fundamental e médio. Os estudantes pesquisadores são provenientes de instituições com renome bastante alto no meio acadêmico brasileiro, como o ITA, UNESP, UFRN, FURG E FEI. O objetivo dessa pesquisa e, por ora, da olimpíada de robótica é que a pesquisa voltada para esse meio seja divulgado na sociedade brasileira, para angariar cada vez mais cabeças pensantes para esse lado.

Tudo isso começou em 2003, quando surgiu a Competição Brasileira de Robótica, evento que continha os mesmos objetivos da OBR, mas que visava a competição entre universitários, no qual, os melhores eram selecionados para a RoboCup, competição a nível mundial que reúne os melhores projetos de robótica para competirem em uma cidade geralmente internacional.  Com o desenvolvimento do projeto e a aderência bastante positiva por parte do corpo acadêmico, os entusiastas e criadores decidiram que, levar esse projeto para frente e começar a incluir alunos dos ensinos mais básicos seria um grande diferencial para que eles, desde cedo, tivessem um contato maior com a robótica. E, em 2007, a primeira edição da Olimpíada Brasileira de Robótica é realizada.

As Modalidades da Olimpíada Brasileira de Robótica

Como a OBR é realizada tanto para alunos do ensino fundamental quanto para os alunos do ensino médio, a Olimpíada é divida em duas modalidades, que são a teórica e a prática.

A teórica se caracteriza na oferta de informações sobre os robôs para os alunos do ensino fundamental e do ensino médio. Para se adequar a realidades diferentes entre os estudantes do ensino fundamental e do médio, existem variados níveis da prova, onde os níveis mais baixos correspondem às provas dos alunos do ensino fundamental; já os níveis mais altos correspondem às provas que são encaminhadas aos alunos do ensino médio.

As provas práticas são reservadas aos alunos do ensino fundamental, médio e técnico que disporem de kits de desenvolvimento robótico, para que possam construir as suas máquinas consonante com as regras da Olimpíada, que consiste na criação de um robô, desse a sua parte física quanto computacional, que possa exercer a função de resgate em um cenário de desastre que será montado no local do evento, no qual tanto o robô a ser construído quanto o cenário a ser erguido seguem regras definidas pelos organizadores da Olimpíada.

Números da Olimpíada Brasileira de Robótica

Segundo dados fornecidos pelo evento, o número de escolas atendidas pela iniciativa sempre esteve em crescimento. Por exemplo, no ano de 2009, 675 escolas se inscreveram para participar da Olimpíada. Um ano depois, em 2010, esse número já saltou para 800, e, com o passar do tempo, o número de escolas inscritas cresce demasiadamente. Foi nesse ano também, em 2010, que a Olimpíada veio a abranger, de forma 100%, todos os estados brasileiros. Em 2009, o número de alunos inscritos foi de 20.000 e, em 2010, esse número subiu para 30.000 alunos. Animados pelos números apresentados, os organizadores do evento resolveram que era hora de informatizar a olimpíada, para que fosse mais fácil a sua abrangência entre as escolas, como, também, ficasse mais facilitado e seguro o gerenciamento das inscrições dos alunos.


As premiações para os melhores colocados na Olimpíada Brasileira de Robótica são medalhas e certificados, que são distribuídos de forma mista. No entanto, pode haver a possibilidade de distribuição de outros tipos de prêmios, que dependerão exclusivamente ou não da presença de patrocinadores no evento. Contudo, uma das vantagens de participação nesse tipo de Olimpíada é a grande soma de experiências ao desenvolver e programar os robôs, além da possibilidade de criar amizades e rede de contatos para o futuro.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Internet

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.