Polaroid Anunciou Uma Impressora 3D

Todos sabemos que o mundo da tecnologia é um dos locais mais cobiçados e desenvolvidos. Isso porque, mediante o uso dela, muitas coisas se tornam possíveis. Por exemplo, o controle de uma sonda que está a bilhões de quilômetros daqui vagando para um espaço desconhecido só é possível graças aos anos de estudo e aperfeiçoamento das tecnologias necessárias para que isso ocorresse.

Além dessas revoluções tecnológicas, as áreas sociais como saúde e educação se beneficiam, cada vez mais, com a evolução dos equipamentos necessários para o desenvolvimento de tais áreas. Há 70 anos, era impensável um transplante de face, o que hoje é possível graças a técnicas apuradas no setor.

Os grandes entusiastas com a tecnologia são, justamente, os que são aficionados por computadores, videogames, jogos, celulares, enfim. Todo mês, uma novidade é anunciada, o que deixa em polvorosa a comunidade “nerd” e científica. Uma das tecnologias que mais chamaram a atenção não só das pessoas que são entusiastas, mas também quem não é muito ligado nesses assuntos é a possiblidade de se ter um objeto que foi visto em um computador, por exemplo, em questão de pouco tempo, por meio de impressão. É a impressão 3D, e o assunto do nosso artigo de hoje gira em torno disso.

Aqui, você vai conhecer um pouco sobre a impressora 3D que a fabricante Polaroid está desenvolvendo para ser lançada ao consumidor comum. Além disso, irá ter alguns esclarecimentos sobre a tecnologia da impressão 3D. Vamos lá?

A Impressão 3D – Origem

A impressão surgiu com a necessidade de se ter várias páginas de um documento em um tempo não muito longo. Inicialmente, as máquinas que imprimiam documentos não eram tão rápidas, já que eram de modo manual: as máquinas de escrever podem ser consideradas como as primeiras máquinas impressoras, já que, apesar de rústica, conseguia imprimir as letras, uma a uma, de um documento. Pode parecer incrível, mas, ainda hoje, as máquinas de escrever ainda batem expediente em locais como almoxarifados e escritórios contabilistas, geralmente, onde colaboradores mais antigos trabalham. Alguns professores de faculdade, também, preferem a máquina de escrever ao invés do conforto propiciado pelas impressoras eletrônicas. Muitos desses profissionais têm verdadeiro “pavor” da tecnologia de impressão.

Com o tempo, as impressoras foram ficando mais baratas, tanto na parte de produção quanto na parte de venda, na qual, na década de 2000, passou a ser comercializada em sua forma doméstica. As pessoas, então, passaram a ter um exemplar da máquina de impressão em casa que, conectada a um computador, passou a imprimir, escanear e a xerocar documentos, sendo a tecnologia uma verdadeira aliada, principalmente para quem possuía um escritório.

Um dos empecilhos das impressoras era, geralmente, o custo do “cartucho”, que é o local onde a tinta que a impressora usa era armazenada. As primeiras impressoras não permitiam a reutilização dos cartuchos, o que implicava nos altos preços para a reposição de tais cartuchos. Posteriormente, com a evolução da tecnologia, as impressoras passaram a aceitar a reutilização dos “tanques” de tinta, que possibilita, então, a recarga de dos “toneis” de tinta.

Atualmente, as impressoras tem um valor bastante baixo, se comparado há alguns anos. No entanto, a venda de tais produtos tem apresentado uma queda constante, já que, os preços de impressão de documentos caíram muito, por causa da popularização das chamadas “impressões” populares, na qual as impressões passaram a custar, cada uma, apenas 5 centavos, tendo o preço máximo de 10 centavos. Isso propiciou a baixa venda de tais produtos, e o crescimento cada vez maior de estabelecimentos como esses.

Visto isso, a indústria de impressão percebeu que a inovação era a palavra chave para continuar na briga pelo mercado. E isso se concretizou com a ideia da impressão 3D.

A Impressão 3D nada mais é do que a impressão de objetos previamente moldados virtualmente, em um computador, por exemplo, e transmutados para a realidade por meio de uma máquina impressora, utilizando materiais como plástico, carbono, entre outros.

Segundo registros, a primeira máquina de impressão 3D teve origem em 1984, pelas mãos de Chuck Hull. Apesar de abandonada no começo, ela foi estudada e, com o passar do tempo, passou a ser aperfeiçoada para que se tornasse mais acessível tanto às empresas interessadas na tecnologia quanto às pessoas normais que desejavam imprimir de forma tridimensional um desenho, por exemplo.

Os benefícios não são poucos. A impressão 3D tem emprego em, praticamente, todo o setor, desde social até o econômico.  Por exemplo: uma prótese de braço pode ser facilmente impressa tridimensionalmente por uma impressora, com todas as suas propriedades e qualidades, por um custo infinitamente menor do que o preço cobrado atualmente.

Além disso, os entusiastas da tecnologia acreditam que, com o passar dos anos, até mesmo comida poderá ser impressa utilizando as máquinas. Testes feitos com chocolates comprovaram a eficácia da máquina.

A Impressora 3D da Polaroid

A onda das impressoras 3D se iniciou na década de 2010 e, desde então, passa por aperfeiçoamentos que beneficiam o consumidor. Visto o grande público que essas impressoras podem alcançar, a Polaroid, famosa fabricante de câmeras digitais, anunciou, durante a CES 2016, que iria entrar na indústria de impressões em 3D. O modelo Polaroid ModelSmart 250S 3D   foi anunciado pela empresa estadunidense com um preço, razoavelmente, acessível: será comercializado por 8 mil reais. Ela possuí uma câmera com resolução que permitirá auxiliar e muito nas impressões 3D, para que os objetos saiam com uma qualidade impecável.

Além disso, o equipamento contará com um suporte de software exclusivo da Polaroid, e será compatível com Windows e os Mac, os computadores da Apple. A tecnologia empregada na impressora pode ser vista por conta das funcionalidades que ela apresenta, como a conexão wi fi com diversos dispositivos, como smartphones e notebooks, podendo ser controlada por dispositivos que rodem o software da empresa e que podem se conectar via wireless.

Obviamente, a impressora anunciada pela Polaroid é focada, majoritariamente, em pessoas que pretendem abrir seu próprio negócio, investindo um valor não muito alto para começar sua empresa. No entanto, isso não impede a utilização da máquina por consumidores comuns.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Tecnologias

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.