Empresa Amazon – História

A história da Amazon perpassa a história do e-commerce, pois não é exagero dizer que essa empresa pioneira ajudou a criar esse modelo de negócios que, atualmente, está bastante difundido, mas que em idos de 1990 era apenas um sonho fantástico. Após se fortalecer num mercado novo e cheio de desafios, a Amazon, provou que tinha mais a oferecer sobrevivendo à temida bolha dos anos 2000 e contribuindo para o aumento do reconhecimento dos livros digitais além de criar outros braços. Conheça mais sobre essa história, que tem passagens que parecem dignas de ficção, mas que não passam da pura realidade.

O Começo da História Fantástica da Amazon

No dia 05 de julho de 1994, o engenheiro e empresário Jeff Bezos, fundou a Cadabra, uma empresa pensada para ser mágica. Fique tranquilo, pois você não está na história errada, Cadabra, foi o primeiro nome da Amazon. Porém, durante o processo de registro do nome um advogado disse a Bezos que a palavra soava como ‘cadáver’, ele aceitou o conselho e decidiu então que sua companhia inovadora de vendas online se chamaria: Relentless que significa ‘Implacável’.

Alguns amigos do empresário e ex-analista de Wall Street lhe disseram que esse nome não era bom, mas, dessa vez ele resolveu ser teimoso. O nome definitivo, Amazon, foi inspirado no Rio Amazonas que é o mais extenso e o que possui maior fluxo de água por vazão devido ao fato de que, Bezos, esperava, que seu negócio online se tornasse a líder do segmento assim como tivesse um ritmo profícuo de vendas e entregas.

Empresa de Garagem

Quase toda boa história de empresa de sucesso do ramo de tecnologia começa na garagem da casa do seu fundador, Jeff Bezos e sua esposa MacKenzie, não fizeram diferente. Eles já haviam decidido que criariam um negócio de vendas online, porém, precisavam escolher um produto para ser o seu carro-chefe, entre opções como itens de informática, CDs, softwares e livros.

Os livros foram os escolhidos porque tinham preço mais em conta e também por abrangerem gostos variados aumentando a possibilidade de impacto de público. A principal inovação da Amazon para época era o fato de que os pedidos eram feitos totalmente pela internet. Os empresários não precisavam ter um armazém com estoque para poder atender a todos os pedidos, bastava terem parcerias de sucesso com atacadistas e distribuidoras. Assim o livro que as pessoas desejavam estava a apenas um clique de distância.

O Primeiro Livro Vendido

Uma curiosidade a respeito da história da Amazon é o primeiro livro vendido pelo site que entrou no ar em 1995. O título em questão é “Conceitos de Fluidos e Analogias Criativas”, de Douglas Hofstadter que se caracteriza por ser um livro acadêmico que trata de temas como inteligência artificial. É interessante que o primeiro livro vendido pela loja que inaugurou o modelo de comércio online como conhecemos hoje tenha sido justamente sobre tecnologia.

A Identidade Visual da Amazon

Hoje o logotipo da loja virtual possui uma flecha amarela ligando o A ao Z do nome para indicar que você encontra obras com títulos começando por todo o alfabeto, no entanto, no início do negócio esse visual era um pouco diferente, tinha um ar bem anos 1990. Uma letra A estilizada aparecia sobre um fundo que lembrava água acompanhada de textos em azul e vermelho. Esse primeiro logotipo logo foi transformado, contudo, o A estilizado permaneceu.

Estrutura

O grande diferencial da Amazon, como empresa, certamente foi ser fundada por um empresário metódico como Jeff Bezos. A ideia da loja nasceu em 1994, mas foi só em 1995 que ela começou a operar, o ano entre uma coisa e outra foi usado para estruturar o plano de negócios permitindo que a companhia chegasse forte ao seu mercado. Já no começo de sua atuação já estava incomodando as grandes livrarias como a Barnes & Noble.

Devido a esse planejamento foi possível para a Amazon atender pedidos vindos dos 50 estados componentes dos EUA além de 45 outros países do mundo em seu primeiro mês de atuação. No ano de 1997 a empresa fez a primeira oferta pública de ações apresentando números bastante surpreendentes para uma iniciante, 2,5 milhões de livros no catálogo e um resultado de 148 milhões de dólares em vendas.

Mas, Nem Tudo é o Que Parece

Quando fez a oferta pública de ações da Amazon, Jeff Bezos, foi bastante sincero com os interessados dizendo que não se convencessem apenas pelos números, pois quase sempre a companhia dava resultados negativos. Isso acontecia porque o empresário estava mais preocupado em consolidar a marca no mercado do que propriamente torna-la uma máquina de fazer dinheiro instantâneo. Para se ter uma ideia o primeiro resultado positivo num balanço da Amazon veio somente em 2001.

Ampliando o Catálogo

Em 1998 a Amazon ampliou o seu portfólio de produtos contemplando também CDs, DVDs e brinquedos eletrônicos, era uma prova de que o modelo de comércio online estava caminhando rumo ao fortalecimento. Houve ainda mais um grande passo para a Amazon, em 2000, a companhia passou a trabalhar com marketplace, isto é, realizar a venda de itens de terceiros como lojas menores ou terceiros. Esses indivíduos anunciavam lá e pagavam uma pequena taxa para a Amazon. Em 1999, Jeff Bezos, foi capa da Revista Time por ter sido escolhido como a “Pessoa do Ano”.

A Bolha da Internet

O ano 2000 marcou a mudança de século e também o estouro da bolha da internet. Em economia se diz que uma bolha estourou quando um determinado segmento recebe investimentos tão elevados e fora da realidade que causam a quebra da bolsa. Com a quebra da Bolsa de Nova York muitas empresas online deixaram de existir ou então perderam sua força significativamente, entre elas obviamente estava a pioneira do e-commerce, a Amazon.

As ações da empresa caíram de 100 para 6 dólares, foi um período em que muitas pessoas foram demitidas. Foi um momento crucial na história da organização de Bezos, com várias sequelas dessa queda repentina demorou para que ela se recuperasse. Esse foi o teste definitivo para que a marca demonstrasse que havia chegado para ficar no mercado online.

Assinatura

Em 2005 a empresa anunciou o sistema de assinatura premium chamado de Amazon Prime que num primeiro momento oferecia como vantagens apenas tempo reduzido para as entregas e ofertas especiais. Ao longo dos anos seguintes os assinantes passaram a ter acesso ao Amazon Video que é uma espécie de concorrente da Netflix. A plataforma de streaming da Amazon possui conteúdos originais reconhecidos por sua qualidade como as séries “American Gods”, “The Man in the High Castle” e “Transparent”.

Amazon Web Services

Foi em 2006 que a Amazon Web Services ou AWS começou as suas atividades quase como uma empresa paralela. O foco de atuação dessa companhia é oferecer serviços de hospedagem e armazenamento na nuvem. A ideia que deu origem a esse braço da Amazon iniciou anos antes quando a marca começou um projeto de desenvolvimento de loja online para um cliente.

A conclusão desse projeto demorou bastante para sair do papel, mas valeu a pena esperar já que deu suporte para desenvolver gerenciamento de redes sociais e até de internet das coisas. Já no ano de 2015 esse braço da Amazon já tinha uma base de usuários com mais de 1 milhão de usuários incluindo empresas como Nasa e Netflix.

O Kindle

Não dá para falar sobre a Amazon sem deixar um capítulo especial para o Kindle e a promoção do livro digital que veio a partir desse equipamento. O eReader mais famoso do mundo teve seu projeto iniciado no ano de 2004 com o codinome ‘Fiona’ que significa ‘acender um fogo’ que seria uma referência ao estímulo da leitura para a mente.

O lançamento aconteceu somente em 2007 com um teclado físico, ainda não tinha o teclado touchscreen e com tela e-ink de 6 polegadas. O estoque do aparelho durou apenas 5 meses. Logo chegou ao mercado o Kindle DX com tela de 9,7 polegadas, mas não teve tanto êxito. Com o passar dos anos o equipamento foi ganhando adição de novos recursos tecnológicos como retroiluminação com LED, tela e-ink com maior qualidade e leveza.

A grande contribuição do Kindle foi criar um novo hábito de leitura, o de ler em plataforma digital em qualquer lugar além de permitir ter uma biblioteca vasta sem precisar de um grande espaço físico. Em 2011 a empresa passou a ter também tablets em seu portfólio que deu acesso a Amazon Appstore.

O Passo Errado da Amazon

Jeff Bezos é um gestor brilhante, mas também comete erros e no que diz respeito a Amazon podemos identificar esse passo no lançamento do Fire Phone, um smartphone lançado em 2014 e que se destacava por ter efeitos de profundidade em sua interface além de ter um recurso em sua câmera que lia textos e objetos direcionando para o site da Amazon. Não tendo mais nada de impressionante o smartphone fabricado pela Foxconn acabou não engrenando no mercado tornando-se um fracasso na lista de sucessos da Amazon.

Amazon no Brasil

Antes era possível comprar do site da Amazon norte-americana pagando altas taxas de impostos, agora já existe o site brasileiro. O braço verde e amarelo chegou por aqui em 2012 já causando polêmica com as livrarias que conseguiram reduzir a sua agressividade no mercado com uma lei de limitação dos descontos para lançamentos.

Financiamento de Foguetes

Em paralelo a Amazon, Jeff Bezos, administra a Blue Origin que é uma companhia focada em exploração espacial. Embora esse negócio – que é rival da SpaceX de Elon Musk – não tenha nenhuma ligação com livros só existe devido ao sucesso financeiro da Amazon, o que possibilitou para Bezos olhar para horizontes mais distantes.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Noticias

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.